Quarta-feira, 27 de Maio de 2015

Carta de princípios de Sampaio da Nóvoa

Diz que é preciso unir a “sociedade rasgada” e apresenta-se como o candidato a Presidente da República que melhor o pode fazer – “com ousadia”. Promete “uma ampla discussão pública” sobre a Europa e a participação de Portugal no projeto europeu, e põe a possibilidade de um referendo sobre a progressiva integração europeia em cima da mesa. São estes alguns dos pressupostos defendidos por Sampaio da Nóvoa na sua carta de princípios, apresentada esta tarde, no Porto.

Num documento que percorre compromissos morais sobre várias áreas, da Língua Portuguesa à Europa, passando pela Economia, o Território e a Coesão territorial, o Estado Social, as Forças Armadas e a Estabilidade, o ex-reitor da Universidade de Lisboa compromete-se “a ser um Presidente presente, próximo das pessoas, capaz de ouvir, de cuidar, de proteger”.


“É preciso trazer a vida para dentro da política, com humanidade. É preciso unir uma sociedade rasgada, juntando os portugueses, as portuguesas, numa luta comum, sem medo de existir. Com persistência e determinação, procurarei ser um elemento de união e de convergência das forças de mudança que existem no nosso país”, escreve o candidato a Belém na carta de princípios que apresenta esta segunda-feira, às 19h30, no Teatro Rivoli, no Porto.

Na carta onde Sampaio da Nóvoa diz o que pensa e ao que vem, o ex-reitor admite referendar questões europeias que possam pôr em dúvida a “soberania nacional”. “Defenderei a integração europeia, o cumprimento dos acordos internacionais e a defesa dos nossos interesses nacionais. Estarei especialmente atento à celebração, no futuro, de compromissos que reduzam os poderes soberanos do nosso país. Não aceitarei que sejam assumidos sem uma ampla discussão pública e, se a relevância do que estiver em causa o exigir, sem a prévia realização de um referendo nacional“, diz.

Mas qual é, para Sampaio da Nóvoa, o papel do Presidente da República? Para António Sampaio da Nóvoa, é alguém que “não deve agir nem contra nem a favor dos governos ou das oposições, e deve exercer as funções de moderação e de regulação para garantir a estabilidade, para estimular a convergência e a realização de compromissos em torno das grandes questões nacionais”. Quando se apresentou formalmente como candidato a Belém, no final de abril, e sem partidos a decretarem o apoio oficial à sua candidatura, já Nóvoa tinha feito da sua “capacidade de fazer pontes e entendimentos” uma bandeira a erguer repetidamente até ao dia das eleições.

Agora, procura vincar a promessa de isenção e garante de estabilidade. “Tenho um entendimento estável dos poderes presidenciais, não estou vinculado a nenhum compromisso político-partidário, respondo apenas perante as pessoas e a minha consciência. Em tudo, procurarei honrar a confiança em mim depositada, dando continuidade ao legado dos mandatos dos Presidentes Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio” – todos os ex-Presidentes à esquerda.

Sobre as questões económicas, o candidato à Presidência da República, que esta tarde vai ter o ex-PR Ramalho Eanes ao lado durante a apresentação do documento, “modernização”, “inovação”, “tecnologia” e “conhecimento” são as suas palavras de ordem. “Só conseguiremos construir um país à altura dos desafios globais do século XXI se conseguirmos vincular as novas gerações e aproveitar o seu dinamismo e a sua capacidade de renovação. É também por isso que não podemos aceitar a emigração da nossa juventude qualificada, da nossa ciência e do nosso conhecimento”, diz.

 
publicado por lino47 às 14:45
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. O Professore Catedrático

. Professores.

. Dos fracos não reza a his...

. comentários

. A Guerra na Síria

. O eucalipto

. O meu patrão é rico

. Cavaco Silva

. O Marquês

. Amadeu Homem

.arquivos

. Agosto 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Outubro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Junho 2010

. Maio 2010

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

.favorito

. Burla

blogs SAPO

.subscrever feeds