Domingo, 5 de Fevereiro de 2017

Passos Coelho o Porco

Sem pingo de vergonha na cara (ou no focinho)


 


Demonstrando uma total indiferença às consequências sociais da combinação entre a sua ignorância em política económica e o extremismo ideológico Passos Coelho parece ter uma nova bandeira política, a de que desta vez não foi o mexilhão a pagar a crise defende até que as desigualdades não foram agravadas, antes pelo contrário, algumas foram mesmo reduzidas.

  

Sem resultados, com o milagre económico a redundar num grande fracasso Passos recuperarecupera a sua estratégia inicial, a de criar um exército de descamisados que apoiem a sua política, exibindo a classe média como a culpada de todos os males. As desigualdades de que fala não correspondem aos indicadores sociais reconhecidos como tal, são supostos estudos sem qualquer valor que o guiaram  na decisão de concentrar as suas medidas brutais sobre alguns.

  

Mas a verdade é que os mais pobres não só foram vítimas directas das suas políticas como sofreram as consequências de muitas decisões, foram vítimas de cortes em série nos apoios sociais, sofreram aumentos dos impostos sobre a generalidade dos bens de consumo e da energia, foram vítimas do despedimento e da destruição de importantes sectores de actividade.

  

Passos Coelho nem sequer vive no tal país que está melhor mas onde os portugueses estão pior, ele vive num país de mentiras, um país onde o salário mínimo não é miserável, onde as rendas não aumentaram, onde os doentes não morreram porque a ambulância de Évora ficou na garagem, onde diariamente se fazem campanhas de recolha de alimentos, onde se abandonam os animais domésticos na rua, desde gatos a cavalos, onde dezenas de milhares viram a sua habitação vendida pelo banco ou pelo fisco.

  

Passos Coelho não tem um pingo de vergonha na cara e parece não se aperceber sequer de quão ofensivo é o seu discurso, ofensivo para milhares de desempregados sem esperança, para famílias divididas pela distância da emigração, para os idosos que sofrem porque deixaram de poder comer alimentos. Quando já nem mesmo a responsável pelo Banco Alimentar vem com o seu discurso de desvalorização da pobreza, aparece um político sem escrúpulos dizer que os pobres estão menos pobres e que os ricos estão menos ricos.

 

 

publicado por lino47 às 00:05
link do post | comentar | favorito
|

Os escrivas que escrevem sobre Sócrates

Não sei, porque não sou bruxo, qual o destino de José Sócrates no meio deste embróglio todo. Se a justiça funcionar como todos desejamos, também não me preocupo muito se é inocente ou culpado.
O que preocupa muito é ver a maneira insinuosa com que três escrevelhos de meia tijela procuram desenterrar factos passados há uma data de anos, factos já investigados até à raiz e que em nada resultaram as investigações.
O que se procura então? Trazer a lume algo que pode condenar o ex PM? Não creio pois trata-se de supostos crimes que a provarem-se ficarão impunes por prescrição. Nem acredito tampouco que a Procuradoria perca tempo com isso.
Mas isto tem essência para os escrevelhos. Porque cheira a merda e é lá que eles, escrevelhos (vulgo escaravelhos). chafurdam.
Artigos como estes não produzem nada a não ser lama sobre alguém ou alguns que são atirados para as linguas de um povo emprenhável pelos ouvidos com a maior facilidade. Mesmo que seja provada a sua inocência estas pessoas jamais sairão da merda para onde foram puxados por verdadeiros assassinos da dignidade.
Preocupam-me os caminhos que estão a ser trilhados por estes vermes da informação e pergunto-me:
O que me acontecerá se uma coisa destas me tocar pela porta? Poderei ir para a cadeia mas não por crimes de que levianamente seja acusado. Serei preso sim por limpar o cebo a quem lançar a lama indevidamente sobre a minha dignidade como homem de bem.Porque, infelizmente a justiça não não funciona.

publicado por lino47 às 00:01
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 4 de Fevereiro de 2017

Sócrates porcessa o Estado

Afinal, tanta merda, tanta corrupção, tantos milhões de luvas e não encontram ao homem nem o valor de um fósforo, assim como não encontram uma simples factura de uma imperial paga por um amigo? Tenham paciência mas tanta incompetência já é demais.
Mas como também não encontram as provas das luvas pagas ao Telmo Correia no processo dos sobreiros nem provas das luvas pagas pela Ferrostal ao Paulo Portas no processo dos submarinos ou dos PANDUR ou das luvas pagas ao Aguiar Branco no processo dos ENVC, os papeis devem estar todos misturados e uns tapam os outros.
São uns cómicos estes Srs. Doutores Juizes, Srs. Doutores Procuradores e Srs Doutores Procuradores Gerais.
Enrolaram-se de tal maneira todos os que estão envolvidos nesses processos encomendados pelos políticos profissionais na oposição à época, que nem sequer colocaram a questão de quem lhe estava a encomendar o trabalho também tinha telhados de vidro.
Agora, como nestas coisas, uma mão lava a outra e as duas lavam a cara, criaram um novelo com tanta ponta que já não fazem a mínima ideia de como se desenrola.
E nós os trabalhadores a pagar com os nossos impostos.
E nós os reformados a pagar com o dinheirinho que é surripiado das nossas pensões.

 
 
·
 

O Juiz Carlos Alexandre e e o procurador Rosário Teixeira vão ter muito que contar.

"Se o Estado não arquiva ou acusa, acuso eu", diz José Sócrates
 
 
publicado por lino47 às 12:41
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 1 de Fevereiro de 2017

Carlos Matos Gomes/José Manuel Coelho

José Manuel Coelho é assim mas não é perigoso.
Os outros que se apresentam muito certinhos de gravata de seda, fatinho de bom pano e bom corte, de falinhas mansas e palavras caras, que se riem deste gajo que parece maluco são bem mais perigosos do que ele.
José Manuel Coelho é um homem do povo, é trabalhador da construção civil, pedreiro, não é Sr Doutor advogado nem economista e só é incómodo porque tem uma maneira diferente de chamar os bois pelos nomes.
Mas chama os bois pelos nomes e os bois sentem-se incomodados.
É uma figura atípica, pois é.
Mas também se não fosse assim ninguém reparava nele.
Mas quanto aos loucos de que o poder está cheio, nem é bom falar.
Basta falar no conterrâneo Alberto João que na sua loucura levou a Madeira à banca rota com um déficit de seis mil milhões de euros que tiveram de ser suportados pelos trabalhadores rurais de Trás Os Montes e pelos operários das fábricas de camisas de Fafe, fazia figuras ainda mais tristes e ainda gozava com o poder institucional.
E agora aí está ele na sua reforma dourada a gozar na sua propriedade de luxo a gozar com o pacóvios todos que o mantiveram no poleiro dezenas de anos.

 
Foto de Carlos Matos Gomes.
publicado por lino47 às 14:11
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. O Marquês

. Amadeu Homem

. Um arrazoado

. estátua de sal

. Marques Mendes

. ...

. Televisão

. Mais fátima

. ...

. ...

.arquivos

. Outubro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Junho 2010

. Maio 2010

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

.favorito

. Burla

blogs SAPO

.subscrever feeds